terça-feira, 17 de março de 2009

Um pouco sobre mim...

Imaginem um rapaz (com cara de garoto) depressivo, meio anti-social, solitário e estranho. Imaginaram? Pois então vocês devem ter idealizado algo muito próximo do que eu sou.

Atualmente vivo em melancolia e ódio da minha própria vida. Isso já faz algum tempo, acho que começou em meados de 2001 quando minha vida mudou de verdade.
Desde que eu nasci vivi e cresci em Embu das Artes - SP. Era uma cidade legal, eu não tinha do que reclamar. Viviam eu, meu pai e minha mãe e minhas duas irmãs, uma mais velha e a outra mais nova que eu, ou seja: eu sou o do meio e único filho homem.
Minha mãe e meu pai só moravam no mesmo teto, pois como casal não se davam bem. Meu pai era um alcoólatra pirracento aposentado por conta de um derrame cerebral. Ele não era um super deficiente mas meio que "puxava" uma perna e era meio infantil as vezes. Mesmo assim era muito trabalhador e dava valor ao dinheiro (apesar de gastá-lo nos bares) e também adorava andar e passear, depois de aposentado então não conseguia ficar em casa sem fazer nada, conhecia qualquer lugar, sabia andar em São Paulo como se tivesse o mapa completo na palma da mão (eu sempre admirei isso nele porque eu achava andar na cidade algo muito complicado). Minha mãe era doméstica, fazia de tudo pra dar aos filhos o que o pai negava. Sempre foi muito carinhosa, atenciosa e protetora.
Minha mãe sempre me disse que desde criança eu era meio estranho: eu era um bebê quieto e observador, não aceitava ficar com ninguém a não ser com ela.
Quando eu fiz uns 3 ou 4 anos minha mãe me colocou num jardim de infancia. Foi horrivel, ainda me lembro do primeiro dia: eu berrando para não me tirarem da minha mãe e me levarem para a sala. Mas me levaram... e foi aí que passei a conhecer a coisa mais perversa do universo - o ser humano.

Bem, mas minha vida na creche fica pra outro dia, porque já é tarde e eu acordo cedo pra ir pra faculdade.

Boa Noite...

Um comentário: