terça-feira, 14 de abril de 2009

Música: Leave The World (tradução)


Deixe o mundo


Você deita em sua cama esta noite
Seus olhos se movem com as paredes
Não há mais ninguém ao seu lado
E se sente sozinho

Uma vela queima em seu quarto
Chuvas continuam caindo sobre seu passado
Sem esperança para uma vida melhor
E se sente paralisado

Uma lágrima negra cai de seus olhos
Você pega a lâmina em sua mão
Um corte para o fim de tudo
Você quer morrer esta noite

Em asas de sangue você pode voar
Ninguém pode mais te trazer de volta
Você está em seu modo de silêncio eterno
Ninguém pode te machucar aqui

Você quer escapar desta vida
Você quer se esconder de si mesmo esta noite
Da escuridão de seus sonhos
Quer apenas deixar este mundo

(BLUTENGEL)

Um pouco mais sobre mim...

Desculpe o sumiço. É que essas coisas são meio chatas de se atualizar.

Anteriormente eu parei no momento em que entrei para a creche, o jardim de infância...

Era um lugar desprezível! Algumas "tias" para tentarem impor respeito, ameaçavam as crianças com a sandália na mão! Elas tinham os seus favoritos: os filhos de outras "tias".
Lá eu aprendi a escrever meu nome, a desenhar (muito bem), usar macinha, essas coisas que crianças precisam para desenvolver bem sua cognição. Eu não tinha muitos amigos, um ou dois apenas... No recreio eu adorava brincar de pega-pega, mas tinha um problema: nesse lugar também havia crianças mais velhas, que já estavam além do jardim de infância e elas adoravam tirar uma com as crianças mais jovens. Adoravam por o pé na frente enquanto brincávamos, ameaçavam as crianças só pra vê-las chorar e não deixavam mais ninguém usar a gangorra.

Minha irmã mais nova entrou nessa mesma creche um tempo depois (não me lembro ao certo), então eu ficava com ela no recreio também. Minha mãe era muito invejada nas reuniões, pois era conhecida como a mãe dos "inteligentes", o que causava revolta nas mães dos filhos burros.
Houve uma ocasião em que ia ter uma peça teatral sobre o nascimento de Cristo. Inicialmente eu iria ser o Jesus (credo), mas resolveram me trocar por uma garota, e sabe qual foi a desculpa? Essa menina tinha "Jesus" como sobre nome. rsrsrs Muito ridículo isso... Se bem que ela tinha cabelos compridos que a deixavam semelhante ao estereótipo falso do Jesus europeu. Enfim... eu fui um anjo, nem me lembro de mais detalhes (ainda bem, isso mostra como foi importante pra mim participar de uma merda dessas)...

Houve outros “mega” eventos como peças de teatro, desfiles, apresentações em datas comemorativas, festas com os pais e outras porcarias.

Na maioria das vezes quem me levava à creche era minha irmã mais velha. O caminho era lamentável: tinha um trecho bem próximo da creche em que tinha que passar por cima de uma ponte de madeira muito mal feita com um córrego passando por baixo. Era um bairro horrível. Ainda bem que eu não morava perto, se bem que o meu bairro também não era aquelas coisas. Lixo é quase tudo igual, não é?

Bem, num outro dia, se eu estiver afim, falo mais um pouco sobre a minha infância. Mas já devo adiantar que não pretendo contar todas as fases da minha vida, pois muita coisa não tem a mínima importância, já que em toda a minha vida eu fui casado com o tédio, mas quando eu era criança eu não percebia isso, é claro. ^^